Consagração – Santificação (24 esboços)

CONSAGRAÇÃO

I – Quem se oferece voluntariamente? – I Crôn. 29:5.

1. Quando Paulo se entregou a Jesus, qual foi sua primeira pergunta? – At. 9:3-6.

2. Mais tarde, como exprimiu sua completa consagração? Filip. 3:8.

3. Por que Deus quer tal consagração? – II Cor. 5:21.

II – Tal Consagração não será uma cruz.

l. Seremos novas criaturas. – II Cor. 5:17.

2. Ele pede completa consagração. – Mar. 5:17. (Mãe, pai, filho, filha, vida, tudo.)

II – Exemplos de consagração completa.

1. Zaqueu. – Luc. 19:8,9.

2. Os batizados “perseveravam”, “havia temor” estavam unidos”, “louvando a Deus”, “simpatia de todo o povo”, “todos os dias.” – At. 2:41-47.

IV – Numa verdadeira consagração só Cristo aparecerá – Gál. 2:20.

1. “Uma coisa faço.” – Fil. 3:13.

2. Não quer saber de nada. – I Cor. 2;2.

3. Nada de glória própria. – Gál. G:14.

4. A verdade resplandece. – Efés. 4:25.

SANTIFICAÇÃO

Heb. 12:14.

I – Motivo. – II Tim. 2:21.

II – Ordenada:

1. No Velho Testamento. – Lev. 20:7.

2. No Novo Testamento. – Heb. 12:14.

III – Quem a experimentará? – Jo. 17:6, 17, 20.

IV – Razões por que é necessária:

1. Sem ela não herdaremos o reino dos céus. – I Cor. 6:9-11.

2. Que sejamos um. – Jo. 17:2, 24.

V – Ela vem:

1. Por Deus. – Lev. 20:8.

2. Pelo homem mesmo. – Lev. 20:7.

VI – Consiste:

1. Na vida presente. – Gal. 5:22; 1 Cor. 6:11; Isa,.1:18.

2. No crescimento na graça e conhecimento. – II Ped. 3:17, 18.

VII – Alcança-se:

1. Pela misericórdia de Deus. – Tito 3:5.

2. Com o auxílio da fé. – Rom. 5:1.

3. Por meio da obediência, – Heb. 5:9.

4. Pelo Espírito Santo. – II Tes. 2:13.

5. Pelo Senhor e pela Verdade. – Jo. 17:17.

VIII – Abrange todo o ser do homem:

1. Espírito, alma e corpo irrepreensíveis. – I Tess. 5:23.

IX – Provas da Santificação:

1. Vivamos sóbria, pia e retamente. – Tito. 2:12, 13.

2. Fé, virtude, ciência etc. – II Ped. 1:5-9.

X – Seus frutos:

1. Na vida presente. – Gál. 5 :22, 24-26.

2. Na vida futura. – II Ped. 1:11; I Jo. 3:2; Fil. 3 :20, 21.

ANDANDO NA PRESENÇA DE DEUS

Gên. 17:1.

Notar quando estas palavras foram dirigidas por Deus a Abraão: logo após ele deixar sua terra por ordem divina, sacrificando interesses e afetos; depois de deixar Ló escolher a parte que a este parecia melhor.

1. A declaração divina: “Eu Sou o Todo-poderoso.” (O Deus que usa toda a Sua onipotência a favor daqueles que O servem e amam.)

2. Uma ordem: “Anda na minha presença”.., Sentir a Sua presença na alegria e na tristeza, nas derrotas e nos triunfos, sempre.

3. Uma promessa, ou mandamento: “…e sê perfeito”. Como promessa, entendemos que, se andarmos na presença de Deus, logicamente cresceremos em fé, amor, pureza, santidade, serviço etc. Como mandamento, entendemos que o Senhor exige que aqueles que são dEle mantenham um padrão nobre de vida cristã.

4. As bênçãos dessa vida na presença de Deus:

Conheceremos melhor a Deus.

Conheceremos melhor a nós mesmos.

Conheceremos melhor os homens.

Conheceremos melhor este mundo.

A SANTIFICAÇÃO

João 17:17

“Santifica-os na verdade” – palavras relacionadas com a santificação que Jesus pedia para Seus discípulos.

I – Que é santificação.

l. Ser santo é ser separado para o trabalho de Deus. Os vasos, utensílios e ornamentos do Templo, eram “santos”.

2. Ser santo é ser usado por Deus eternamente para Seu serviço e glória.

3. Ser santo é ser regenerado. – Ato que se opera de uma só vez.

4. Ser santo é crescer nesse mister. – Ato que se opera gradativamente.

II – Como se opera a Santificação.

1. Por uma verdadeira humilhação: “Aqueles que não se tornarem como meninos, de modo algum herdarão o reino de Deus.”

2. Aversão ao pecado. – O Peregrino fugindo da Cidade da Destruição.

3. Desejo de saber mais de Deus. – Lendo sempre Sua Palavra.

4. Profundo amor a Deus.

5. Profundo amor ao próximo.

III – Razões da santificação.

1. Porque a regeneração não basta.

2. Porque precisamos combater o mundo (pecado).

3. Porque o crente deve crescer no amor às coisas celestiais.

4. Porque Deus manda que cresçamos – I Ped. 1:16.

IV – Como a Santificação se opera em nossa vida.

1. É um ato que se estende infinitamente.

2. É obra do pecador com o auxílio de Deus. – Vontade. Exame introspectivo.

3. Abnegação. “Quem perder sua vida por amor de mim, ganhá-la-á.” “Não sou eu mais quem vive, mas Cristo é Quem vive em mim.”

4. Vigilância e oração.

5. Obras do homem com Deus.

A TROCA QUE MOISÉS FEZ

Heb. 11:24-27

Renunciou ao poder. – V. 24.

Recebeu poder. – Apoc. 2:26.

Renunciou aos prazeres. – V. 25.

Renunciou às riquezas. – V. 26.

Recebeu riquezas. – Heb. 11:26; Fil. 4:19.

Incorreu em aflições. – V. 25. – Isa. 63:9.

Herdou graça. – I Ped. 3:17; II Cor. 12:9.

Incorreu em opróbrio. – V. 26; cf. Heb. 13:13.

Herdou honra. – Rom. 2:29; Jo. 5:44.

Incorreu em ira. – V. 27.

Herdou isenção (da ira divina). – Apoc. 6 :17.

O CORAÇAO EM CONTRASTE

1. CORAÇÃO INDESEJÁVEL.

a) Impenitente. – Rom. 2:5.

b) Dobrado. – Sal. 12:2.

c) Perverso. – Sal. 101:4.

d) Tímido. – Is. 35:4.

e) Enganoso. – Jer. 17:9.

f) Orgulhoso. – Prov. 21:4.

g) Maligno. – Prov. 26:23.

2. CORAÇÃO DESEJÁVEL.

a) Quebrantado. – Sal. 34:18.

b) Humilde. – Mat. 11:29.

c) Puro. – Sal. 51:10.

d) Novo. – Ez. 18:31.

e) Entendido. – I Reis 3:9.

f) Sincero. – Heb. 10 :22.

g) Alegre. – Prov. 17:22.

VIDA NOVA

1. Negativamente. A vida nora não se manifesta por:

a) Mudança de religião.

b) Reforma de costumes.

c) Aparência de piedade.

d) Boa educação.

e) Bons princípios.

f) Fanatismo.

2. Positivamente. Cristo no coração é a fonte que determina todas as manifestações da personalidade transformada pelo Espírito Santo. Então teremos:

a) Vontade nova.

b) Sentimentos novos.

c) Pensamentos novos.

d) Ações novas.

e) Linguagem nova.

f) Olhares novos,

“Quem está em Cristo, nova criatura é; passou o que era velho, eis que tudo se fez novo.”

COISAS QUE DEUS NAO PODE FAZER

I – “Não podes ver o mal.” – Hab. 1:13.

1. Não pode ver a maldade sem castigá-la.

2. Deus é santo e aborrece o mal.

3. Deus é justo e tem que castigar o mal.

4. Não pode passar-lhe por alto.

II – “Não as posso suportar.” – Isa. 1:13.

1. O povo de Israel tinha o recurso de toda classe de prática religiosa para aparentar uma bondade que na realidade não possuía.

2. Deus não tolera a hipocrisia.

III – “Deus não pode mentir.” – Tito 1:2.

1. Suas advertências de juízo. – “A alma que pecar, essa morrerá.” – “Sabei que vosso pecado vos alcançará…” – se cumprem com toda a certeza.

2. Sua oferta de graça. (Mat. 11:28; João 6:37; Apoc. 22:17) se cumpre também com a mesma segurança.

3. Podemos confiar na Sua Palavra sem titubear e, havendo aceitado, podemos regozijar-nos em que “..,é impossível que Deus minta; tenhamos uma firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta”. Heb. 6:18.

COMO CRESCER ESPIRITUALMENTE

1. Manter-se no espírito de um arrependido. – Mat. 5:23-24; Atos. 26:20.

2. Manter-se no espírito de oração. – I. Tes. 5:17; Luc, 18:1.

3. Manter-se no espírito de louvor. – I Tes. 5:18; Sal. 50:23.

4. Manter-se no espírito de confiança. – Prov. 3:5; Isa. 26:3.

5. Testemunhar a Cristo como seu Salvador e Senhor. – Mat. 10:32; Rom. 10:9-10.

6. Estudar diariamente as Sagradas Escrituras. – II Tim. 2:15; Atos. 17:11.

7. Cultivar a fraternidade entre os irmãos na fé. – Atos 2:42; Heb. 10:25.

8. Procurar ganhar outros para Cristo. – Prov. 11:30; Dan. 12:3.

UMA VIDA CONSAGRADA A DEUS

II Cor. 6:11; 7:1 e I Cor. 10:32

I – Deus exige uma vida consagrada.

1. Deve-se separar do mundo. – II Cor. 6:17.

2. Deve levar uma vida correta. – Tito 2:12.

3. Deve fugir do mal. – I Tess. 5:22.

II – Da consagração depende o sucesso do crente.

1. É-lhe impossível amar a Deus e ao mundo. – I Jo. 2:15.

2. Não se pode servir a dois senhores. – Mat. 6:24.

3. Deus castigará se mancharmos o seu templo. – I Cor. 3:16,17.

III – Uma vida consagrada é uma luz aos outros.

1. Falhando a luz, outros podem se perder.

2. Raiando a luz, podem ver o caminho.

3. Como devemos deixar raiar a luz?

a) Assistindo aos cultos.

b) Tomando parte ativa nos exercícios e trabalhos missionários da Igreja.

c) Contribuindo para a expansão do Evangelho.

d) Falando com os de fora.

e) Ajudando aos necessitados.

4. A recompensa final. – Mateus 25:23.

UMA ENTREGA SEM RESERVAS

Rom. 12:1, 2

I – O sistema antigo de sacrifícios.

1. Entre os pagãos.

a) Profetas retalhavam seus corpos.

b) O povo matava seus filhos.

2. Entre os judeus,

a) Sacrifícios de animais.

b) Exemplo de Saul e os amalequitas.

3. Entre os cristãos de hoje.

a) Penitências, romarias etc.

II – O sacrifício de que Paulo fala.

1. Não um sangue derramado, mas a correr e a trabalhar circulando em nosso organismo e nosso ser.

2. Não somente os nossos conhecimentos, mas nós mesmos, visto que Lhe pertencemos – I Cor. 6 :19,20.

a) Ele pede aquilo que adquiriu. – I Ped. 1:18,19.

b) Somos Sua propriedade e devemos prestar-Lhe nosso serviço e sacrifício de louvor. Ex, : – o boi.

3. Os animais para o sacrifício deviam ser sem mácula. Não poderemos nunca prestar um bom serviço ao Senhor se estivermos poluídos com o pecado e as coisas deste mundo.

a) Não podemos servir a dois senhores, – Rom. 6:13.

4. Deus requer um sacrifício vivo e não morto. – II Cor. 12:15.

a) Exemplo de como se gasta a vela.

b) Cristo na alma faz o sacrifício vivo. – Gál. 2:20.

III – O motivo da súplica de Paulo.

1. “Pela compaixão de Deus” – Deus é misericordioso. Deu-nos vida, alimento, luz, ar, tudo enfim, e por esse motivo devemos entregar a Ele nosso tudo.

2. “Nosso culto racional” – Deus não requer uma devolução cega e ignorante, mas inteligente e sincera.

a) Esse culto deve ser conforme as Escrituras.

O CONQUISTADOR CRISTÃO

Apoc. 21:7

I – Os inimigos do cristão.

1. O mundo.

a) A advertência divina. – I João. 2:15-17.

2. Um coração enganoso.

a) A verdade bíblica, – Prov. 17:9.

3. Espíritos do mal. – Efés. 6:10-12.

II – Os auxílios cristãos.

1. Oração.

a) A oração é a chave, nas mãos da fé, que remove os maiores obstáculos.

b) As maiores batalhas, as mais renhidas lutas foram ganhas de joelhos. – I Tes. 5:17; Rom. 12:12; Efés. 6:12; Luc. 21:36; I Ped. 5:6-9; Sal. 50:15.

2. As promessas,

a) Deus guarda e protege os fiéis. – Sal. 91; 46:1; Isa. 43:1-2; 41:10.

3. A companhia cristã. – I Ped. 5:9.

III – A recompensa cristã.

1. Uma herança gloriosa. – I Ped. 4:19; 5:4.

2. Uma herança eterna. – Apoc. 2:26-28.

O SOLDADO CRISTAO

II Tim. 2:3

I – O que faz um bom soldado?

l. Habilidade.

2. Prudência.

3. Valor, coragem.

4. Obediência.

II – Quais as lutas que deve enfrentar?

1. Interna. – O “eu”, a carne.

2. Externa. – O mundo e o diabo.

III – Como poderá conquistar?

1. Pelos exercícios.

2. Pela disciplina.

3. Pela organização.

4. Pelo estudo da Palavra e coração.

5. Pela confiança em Deus e na Sua sábia direção.

ADVERTÊNCIA AOS CRENTES DOS ÚLTIMOS DIAS

Miq. 2:10

I – Levantai-vos.

1. A alma sincera, que aceita a Jesus, levanta-se das trevas do pecado e resplandece. – Isa. 60:1.

2. Deve sacudir de si os vícios e pecados. – Isa. 52:2.

3. Deve vestir-se dos méritos de Cristo. – Isa. 52:1.

4. Os próprios irmãos antigos, que dormem, devem despertar e levantar-se. – Zac. 4:1; Efés. 5:14.

II – Andai.

1. Andar não mais nos caminhos das trevas, mas no da luz.

– João 12:35,36.

2. Andar com dignidade de cristão. – Efés. 4:1.

3. Andar para a vocação do reino e glória de Deus. – I Tess. 2:12.

4. Os filhos de Deus estão em marcha para Sião. – Sal. 84:7.

II – Esta não será a terra de descanso.

1. Aqui não se encontra descanso, só sofrimentos e misérias.

– Atos 14:22.

2. Aqui somos peregrinos. – Heb. 11:13, 14.

3. A Terra do descanso está além-túmulo. – Heb. 11:16.

4. Quando entraremos no descanso? – II Tess. 1:7.

5. Um grande perigo atual. – Heb. 4:1,9.

IV – A terra está contaminada.

1. A contaminação da Terra é geral hoje.

a) Nos animais.

b) Nos vegetais e cereais.

c) Na humanidade. – Oséias 4:1, 2; II Tim, 3:1,5.

2. A sociedade tem chegado ao colapso moral.

V – Corromper-vos-á.

1. O crente deve reconhecer que o perigo é grande e contagioso.

– II Cor. 6:14-17.

2. Não deve condescender com o mundo: cinemas, bailes, modas imorais etc.

OS SÁBIOS E A GLÓRIA FUTURA

Dan. 12:3

I – O caráter dos justos.

1. Fizeram uma escolha sábia.

2. Abraçaram verdades sábias.

a) A verdadeira sabedoria não é segundo o mundo. – Rom. 1:21.

3. Tiveram uma conduta sábia e prudente. – II Cor. 6:3-10,

II – Seu dever cumprido.

1. Pelo exemplo. – I Tim. 4:11-12.

2. Pelo esforço pessoal.

3. Pelas suas ofertas.

4. Pelas suas orações.

III – Sua glória futura.

1. Sua certeza. – Apoc. 22:6-7.

2. Seu esplendor. – Apoc. 21:1-5.

3. Sua perpetuidade. – Isa. 66 :22-23.

4. Sua alegria eterna. – Isa. 35:10.

5. Tudo será novo e feliz. – Isa. 65:17-18.

LEVANTEMO-NOS QUE O MESTRE NOS CHAMA

Mar. 10:49

I – Argumentar o fato.

1. A doença da cegueira era comum no Oriente.

2. Ele não podia contemplar as belezas da natureza.

3. Certamente teria recorrido à medicina, mas debalde.

4. Agora só lhe restava a esperança neste Jesus.

5. A oportunidade chega e ele aproveita sem encarar as peripécias.

6. A sua fé é recompensada. – Vs. 48-52.

a) A gratidão que mostrou a Jesus. – V. 52.

II – Aplicação do verso 49.

1. Deus no passado chamou homens:

a) Abraão. – Gên. 12:1-3.

b) Moisés. – Êx. 3:1, 7-10.

c) Josué. – Jos. 1.

d) Samuel. – I Sam. 3:3,4.

e) Jonas. – Jon. 1:1,2.

III – Jesus também chamou.

a) Simeão e André. – Mar. 2 :16-20.

b) Levi. – Luc. 5:27, 28.

IV – Ainda hoje Jesus nos chama.

1. Esta chamada pode consistir em:

a) Termos que deixar o mundo.

b) Termos que romper as relações com os amigos e parentes.

c) Termos que baixar ao túmulo.

d) Termos que deixar a sociedade e ir para o mato e ali viver numa choupana.

e) Termos que deixar nossos entes queridos e ir trabalhar entre os selvagens.

2. Meu irmão e minha irmã, Jesus ainda hoje chama você: levantemo-nos, pois o Mestre nos chama.

QUEM ESTÁ AO LADO DO SENHOR?

Êx. 32:25-29, 26

O motivo que levou Moisés a fazer essa significativa pergunta.

I – O conflito, e qual o lado do Senhor.

1. Crença em Deus contra ateísmo, imoralidade.

2. Escrituras em oposição às falsas filosofias.

3. O Evangelho versus superstição.

4. Cristo versus justiça própria.

5. Os mandamentos de Deus versus a tradição e os mandamentos dos homens.

6. O sangue de Cristo versus boas obras e esforços e invenções humanas.

II – Os amigos do Senhor e o que precisam fazer.

1. Consagrar-se sem reservas ao Senhor. V. 29.

2. Decidir-se real e firmemente. – V. 26.

a) Por uma união aberta e decidida com a igreja. – Mat. 10:29-34; 19:29.

b) Abandonando pecados, vícios, o mundo, e demonstrando a verdade na sua vida, Lembrar-se de que a vitória e a verdade não estão com a maioria. – Mat. 7:13, 14; Luc. 12 :32.

3. Estar em prontidão. – V. 27.

a) A espada é a palavra. – Efés. 6:17.

4. Fazer o que lhes for ordenado. – Êx. 32 :28.

III – A hoste do Senhor e a coragem que produz.

l. A causa é santa, do Todo Poderoso.

2. Cristo mesmo é o capitão. – Isa. 55:4.

a) Nunca perdeu uma batalha. – Não devemos hesitar.

3. Os anjos são do nosso lado. – II Reis 6:17.

4. Milhares dos melhores homens têm estado neste lado. – Heb. 12:1.

5. Este é aquele lado da batalha cuja vitória terminará no Céu, enquanto que a do mundo nunca tem fim. – Apoc. 7:9.-17; Mat. 10:22; Jo. 16:33; Isa. 54:17.

É muito fácil dizer que o Senhor está ao meu lado; mas o mais importante é saber “se eu estou do lado do Senhor”. – I Reis 18:21; Jos. 24:14,15.

Quem quer estar ao lado do Senhor?

“E O ABENÇOOU ALI”

Gên. 32:22-29

Há na vida de cada indivíduo ocasiões decisivas e aflitivas.

O caso de Jacó. Sua consciência o condenava. Estava sem esperança. Necessitava de um auxílio mais do que humano. Suplicou uma bênção. A bênção é sublimei

I – Qual foi a bênção que Jacó recebeu?

1. Foi salvo de um perigo (Esaú). – V. 11.

2. Foi perdoado do grande mal. – (Enganador).

3. A fenda entre ele e Esaú removera-se. – 33:4.

a) Riquezas não o satisfaziam.

4. Ganhou um novo nome. – V. 28; Apoc. 2:17.

II – Qual será o lugar de bênção? “Ali”.

1. Um lugar de grandes aflições. – V. 6, 7.

2. Lugar de uma confissão humilde. – V. 10.

a) Antes exaltado, depois humilhado.

b) Pela confissão humilde nossos pecados serão apagados. – Isa. 43:25; Prov. 27:13.

3. Lugar de comunhão. – V. 30; 28:16,17.

a) Humilhados e santificados, poderemos ver a Deus.

4. Lugar de vitória. – V. 28, 29; Oséias 12:4.

III – Será esta conferência um tal lugar de bênção?

1. Sim, se estamos prontos:

a) A nos humilhar.

b) A confessar as nossas faltas.

c) A nos consagrar.

d) A renovar o concerto (águas passadas não voltam).

e) A executar a vontade de Deus. – Deut. 4:29.

2. Deus quer nos abençoar “aqui”. – Sal. 65:4; 5:12.

3. Abençoando, a bênção permanecerá para sempre. – I Crôn. 17:27.

4. Você quer ser abençoado aqui?

Vamos crer. Lutar para alcançar. Somente o Senhor pode abençoar.

Olhemos, pois, a Ele e exclamemos como Jacó: “Na verdade o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia.” Gên. 28 :26.

MARIA AOS PÉS DE JESUS

Luc. 10:38-42

Não há duas pessoas iguais neste mundo. Mesmo os irmãos gêmeos. Por exemplo, Esaú e Jacó. Maria e Marta são tão diferentes! As duas são crentes. Procuremos imitar aquela que recebeu o louvor do Mestre.

O exemplo de Maria aos pés de Jesus fornece-nos uma lição:

1. Piedade. A saber: devoção.

Ela já sabia bastante, mas queria aprendei- mais. Deleitava-se nas coisas espirituais.

2. Consagração.

Jesus merece o nosso tempo, a nossa atenção. Foi ela que mais tarde ofereceu aquele inebriante perfume (Jo. 12:1-8).

3 . Previdência.

Jesus não estaria sempre com a família de Betânia. Foi nessa vila que Ele mais tarde afirmou: “A Mim não haveis de ter sempre.” (João 12:8). Nos dias bonançosos o crente se descuida.  Quando sobrevêm os tempos difíceis, sente-se perturbado. Um dia Lázaro, o irmão, morreu. Marta foi a primeira a correr a Jesus (João 11:20).

CONCLUSÃO – A Bíblia está cheia de bons exemplos deixados para a nossa edificação. Aprendamos com Maria as boas lições que a sua atitude nos sugere.

ZAQUEU CONVERTIDO

I – Era rico, porém não satisfeito.

1. O mundo não o satisfazia.

2. Queria ver a Jesus.

II – Impedido, porém foi vencedor.

1. A multidão o estorva; tem dificuldades.

2. Não se deixa vencer.

3. Sobe a uma árvore para conseguir o seu objetivo.

III – Escondido, porém descoberto.

1. Não é visto facilmente entre a ramagem.

2. Cristo quer ter uma confissão de sua necessidade.

IV – Desconhecido, porém chamado por nome.

1. Jesus o conhece bem.

2. Conhece o desejo de seu coração.

3. O Pastor chama Suas ovelhas pelo nome. – Jo. 10:3.

V – Esperando, porém surpreendido.

l. Esperava ver Jesus, ao passar, mas teve a alegria da Sua visita.

2. Jesus entrou em sua casa e comeu com ele.

VI – Necessitado, porém salvo.

1. Era classificado com os pecadores. – V. 7.

2. Cristo havia vindo para salvá-lo e “salvar o que se havia perdido”. – V. 10.

VII – Mau, porém transformado.

1. O aceitar a Cristo resulta em uma grande transformação.

Jo. 1:12; Luc.19:6.

2. Restituiu o roubado.

3. Ajudou os pobres.

4. A justiça caracteriza o que realmente pertence ao Senhor.

Jo. 2:29.

A NOVA VISÃO DE UM CONVERTIDO

At. 9:1-16

Narrar o fato e as circunstâncias, em síntese.

I – Atitudes antes da conversão.

1. A pessoa tem zelo fanático pela religião. – V. 1; 22:3; Gál. 1:13-14.

2. Ataca e persegue os que crêem no Evangelho puro. – V. 1.

3. Julga que combater os crentes e matá-los é prestar serviço a Deus. – V.2. Jo. 16:2.

II – Fatores que contribuem, para a nossa conversão.

1. A luz do Céu, ou iluminação do Espírito Santo. – V. 3.

2. Deus revelando à pessoa o seu pecado e o seu erro. – V. 1.

3. Um encontro pessoal com Jesus. – V. 5.

4. Submissão completa à vontade de Jesus. – V. 6-7.

III – Provas reais da conversão.

1. A oração espontânea a Deus. – V. 8-11.

2. O testemunho de Deus sobre nós e em nós. – V. 11-16; I Jo. 5:10-12.

3. Plenitude do Espírito Santo em nós. – V. 18-19.

4. União com os crentes. – V.19.

5. Ousadia para pregar a Cristo. – V.20.

VITÓRIA MEDIANTE A ENTREGA COMPLETA

I – Redenção.

1. O redentor e o preço pago. – I Ped. 1:18-20; At. 20 :28; Efés. 5:2.

2. A quem pertencemos? – I Cor. 6 :19, 20; Rom. 14:8.

3. Como tornar-se filho de Deus. – Gál. 3:26.

II – Entrega completa na vida vitoriosa.

1. Convite para a entrega. – Prov. 23:26.

2. A quem nos devemos entregar? – Rom. 6:13.

3, Certeza de vitória aos que se entregam. – Rom. 6:14.

III – Poder mediante a entrega a Cristo.

1. O poder prometido. – Jud. 24; 1 Ped. 1:3-5; Isa. 26:3.

2. Exemplo da Igreja de Macedônia. – II Cor. 8:5.

IV – Buscar o Senhor de todo o coração.

l. Exemplo do passado. – II Crôn. 15:12, 15.

2. Que é feito com o coração? – I Crôn. 28:9.

3. Exortação à Igreja. – Sof. 2:1-3.

4. Promessa animadora a quem busca. – II Crôn. 7:14.

OS RECLAMOS DO SENHOR

Deut. 10:12 e 13; Miq. 6:8

O Senhor requer:

I – A declaração de Moisés. – Deut. 10:12 e 13.

1. Fé com santo temor. – “Teme o Senhor teu Deus.”

2. Fidelidade – “Andas em todos os Seus caminhos.”

3. Amor – “Ama-o.”

4. Serviço. – “Serve o Senhor teu Deus.”

5. Obediência – “Para guardares os mandamentos do Senhor.”

II – A declaração de Miquéias. – Miq. 6:8.

1. Justiça – “Pratica a justiça.”

2. Beneficência – “Ama a beneficência.”

3. Humildade – “Anda em humildade.”

4. Companheirismo – “Anda humildemente com o teu Deus.”

A RECOMPENSA DE TUDO ABANDONAR

I – O Evangelho reclama abnegação.

1. Jesus se dispôs a, por nós, renunciar ao Céu. – Jo. 3:16; Mat. 26:38-44; 27:46.

2. Abraão abandonou sua parentela. – Gên. 12:1,4.

3. Moisés preferiu sofrer aflição com o povo de Deus. – Heb. 11:24; 25.

4. O testemunho de Paulo: “Tenho também por perda todas as coisas”. – Filip. 3:4-8.

II – Nenhum sacrifício é grande demais.

1. “Nega-te a ti mesmo”. – Luc. 9 :23-26.

2. “Quem ama mais o pai ou a mãe do que a Mim, não é digno de Afim”. – Mat. 10:34-38.

3. “Que aproveita ao homem”. – Mat. 16:24-26.

4. “Deixaram tudo e O seguiram”. – Luc. 5:11, 27, 28.

III – Aceitar o convite de Cristo.

I. A parábola da grande ceia. – Luc. 14:16-27.

2. A advertência de Cristo, – Luc. 14:33.

IV – Considerar o custo.

1. Os sofrimentos de agora; a glória, depois. – Rom. 8:17; 18.

2. Sofrer com Cristo; reinar com Ele. – II Tim. 2:12; 1 Ped. 1:12,13.

3. Por meio de muita tribulação entrar no Reino. – Atos 14:22.

4. Congregados os santos que se sacrificaram. – Sal. 50:5.

V – A recompensa agora e eternamente.

1.  Receber bênçãos centuplicadas agora, e, depois, a vida eterna.

– Mat. 19:27-29; Luc, 18:28-30.

2. “Abundância de alegrias”. – Sal. 16:11.

3. As decisões acertadas produzem paz perfeita. – Isa. 26:3.

4. “Paz,.. que excede a todo entendimento”. – Fil. 4:7.

5. Esperar confiante a volta de Cristo. – II Ped. 3:14.

Faça o primeiro comentário a "Consagração – Santificação (24 esboços)"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*